Compartilhe:

UGPA3: R$ 47,00 – 03/12/18

Entre FEV/18 e SET/18 as ações da ULTRAPAR caíram impressionantes 55%, uma das maiores quedas de uma empresa de grande porte e com histórico de boa gestão. O QUE NÃO ACONTECIA, ACONTECEU: a empresa deu alguns passos errados, não se preparou para uma mudança mais profunda no mercado de combustíveis, sofreu com eventos não recorrentes e os investidores desistiram do “CASE”.

Desde o início de outubro/18, a empresa passou a comunicar ao mercado seus diagnósticos, seus planos e estratégias para voltar aos bons tempos. As ações subiram 25% desde as mínimas, mas ainda têm muito para recuperar.

Ao longo do tempo, o desempenho operacional deve melhorar muito, principalmente com a recuperação da economia que se espera para os próximos anos. Três dos negócios da ULTRAPAR já parecem ajustados e devem voltar ao patamar histórico de rentabilidade em pouco tempo. São eles: ULTRAGAZ, ULTRACARGO e OXITENO, que juntos representam cerca de 30% do EBTIDA do grupo.

No entanto, o maior negócio do grupo (a IPIRANGA ~ 70% do EBTIDA) deve encontrar mais dificuldades para voltar ao nível de rentabilidade anterior. Talvez não volte totalmente, mas vai recuperar muito do que foi perdido nesses últimos dois anos em termos de Margem Ebtida por metro cúbico de combustíveis vendido. Vale a observação que há cerca de dois meses a IPIRANGA trocou o seu CEO por um profissional vindo do mercado, o que aumenta um pouco a incerteza, dado que o grupo tem a tradição de formar os seus próprios quadros em casa.

De toda forma, ativo bom, bem gerido, gerador de caixa, como a ULTRAPAR (UGPA3) só dá para comprar a preços atrativos quando algum fato imprevisto atinge seus negócios, como o descrito acima. Não dá para deixar passar essa.


Compartilhe: